Ao longo dos últimos anos vários acontecimentos marcaram a história do mercado solar fotovoltaico no mundo. Esses fatos foram determinantes na disseminação da tecnologia. Fizemos um apanhado com alguns deles.

Acordo para combater as mudanças climáticas entra em vigor

No dia 4 de novembro de 2016, quase um ano depois de sua aprovação, o acordo de Paris entrou em vigor. Com isso, todos os governos que assinaram o acordo, incluindo EUA, China, Brasil, União Europeia e Índia, se comprometeram em atuar para conter o aquecimento global em menos de 2ºC. Isso é o limite que os cientistas consideram seguro, evitando mudanças catastróficas e irreversíveis. O desafio é diminuir drasticamente as emissões de carbono na atmosfera, que continuam aumentando. A estimativa é que 2016 foi o mais quente desde o início dos registros, um recorde pelo terceiro ano seguido. Contudo, novos cálculos estimam que as contribuições estabelecidas pelos países que assinaram o acordo são insuficientes para atingir a meta. Investimentos em fontes de energia renováveis como a solar fotovoltaica serão cruciais para que o mundo consiga atingir esse objetivo. Estimativas indicam que no Brasil, o mercado solar cresceu 300% em 2016. Se depender do crescimento dessa tecnologia, estamos em um caminho sem volta para um mundo mais sustentável.

Leia mais em: http://sustentabilidade.estadao.com.br/blogs/ambiente-se/acordo-de-paris-entra-em-vigor-desafio-agora-e-torna-lo-mais-ambicioso/

Avião movido a energia fotovoltaica completa a primeira volta ao mundo

O avião Solar Impulse 2 completou no dia 26 de Julho de 2016 a primeira volta ao mundo feita por um aeroplano movido a energia solar. O objetivo do projeto foi mostrar ao mundo o potencial de energias renováveis. O projeto do avião contou com 17.000 células fotovoltaicas e durante a volta ao mundo passou mais de 23 dias no ar. A jornada iniciou-se em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, em março de 2015 e sobrevoou o mundo sem o uso de combustíveis fósseis. Durante o dia os módulos solares carregam as baterias do avião que voou a velocidade média de 50 km/h. Os pilotos suíços Bertrand Piccard e Andre Borschberg são conhecidos aventureiros. Piccard fez a primeira viagem de um balão ao redor do planeta sem paradas em 1999. Borschberg, um ex-piloto das forças aéreas suíças enfrentou a morte em um avalanche e a queda de um helicóptero. Em uma entrevista ao the Guardian, Piccard disse: “Todas as tecnologias limpas que usamos podem ser usadas em todo lugar. Então nós voamos 40.000 km, mas agora depende das outras pessoas levarem isso adiante. É escolha de cada pessoa em uma casa, cada chefe de estado, cada prefeito, cada empresário ou diretor de empresa. Essas tecnologias agora podem fazer o mundo muito melhor e temos que usá-las, não só pela causa ambiental, mas também porque elas são lucrativas e criam empregos.”

solar impulse

Solar Impulse 2 sobrevoando Cairo no Egito. Foto: J. Revillard/Rezo/SolarImpulse

Leia mais em: https://www.theguardian.com/environment/2016/jul/26/solar-impulse-plane-makes-history-completing-round-the-world-trip

Ilha no pacífico é abastecida com energia solar

A ilha de Ta’u, localizada na Samoa Americana, substituiu sua fonte de energia elétrica de geradores a diesel pela energia solar fotovoltaica. A ilha conta hoje com mais de 5.000 painéis fotovoltaicos e 60 baterias Tesla power packs. O sistema de baterias é capaz de armazenar energia para abastecer a ilha por três dias caso alguma ocorrência interrompa a geração. Um avanço, considerando que a ilha sofria com constantes problemas de abastecimento de diesel, o que fazia com que os seus 600 residentes ficassem sem acesso a energia elétrica. Segundo o blog da SolarCity, empresa responsável pela obra, a mini-usina de capacidade de geração de 1,4 megawatt foi implementada em um ano. O projeto irá reduzir significativamente os custos da ilha com energia, uma vez que irá eliminar o consumo de mais de 109.500 galões de diesel por ano, além dos custos de transporte do combustível. Pequenas comunidades como a de Ta’u são idealmente apropriadas para aplicação de sistemas fotovoltaicos e funcionam como modelos para mostrar ao mundo que é possível depender de uma matriz energética renovável.

Sistema fotovoltaico da ilha de Ta'u

Sistema fotovoltaico da ilha de Ta’u. Foto: SolarCity.

Leia mais em: http://blog.solarcity.com/island-in-the-sun/

Primeira pista feita de módulos fotovoltaicos

A primeira pista para veículos feita de painéis fotovoltaicos foi inaugurada no dia 22 de dezembro de 2016 em uma vila na França. A pista de 1 km de extensão fica localizada na vila de Tourouvre-au-Perche coberta por 2.800 metros quadrados de módulos fotovoltaicos. O custo da obra foi de 5 milhões de euros e será usada diariamente por aproximadamente 2.000 motoristas durante um período de testes de dois anos a fim de avaliar se o sistema será capaz de fornecer energia elétrica suficiente para a iluminação pública na vila que conta com 3.400 residentes. O ministro de meio ambiente francês, Ségolène Royal, disse que gostaria de ver 1 km de painéis solares instalados a cada 1.000 km nas rodovias francesas. Contudo, por serem instalados sem inclinação e orientação adequadas, estes painéis apresentam menor eficiência. Para suportar o tráfego de veículos, os módulos foram cobertos com uma resina contendo camadas finas de silicone.

estrada solar

Primeira pista para veículos feita de modulos fotovoltaicos. Foto: Christophe Petit Tesson/EPA

Leia mais em: https://www.theguardian.com/environment/2016/dec/22/solar-panel-road-tourouvre-au-perche-normandy

Pela primeira vez a energia solar é a fonte de energia mais barata em 60 países

A energia solar se tornou pela primeira vez a fonte de energia mais barata de acordo com os dados do Bloomberg New Energy Finance (BNEF) anunciados no dia 15 de dezembro de 2016. Os dados mostram que o preço médio da energia solar em quase 60 países incluindo Brasil, China e Índia, caiu para 1,65 milhões de dólares por megawatt em 2016, abaixo da energia eólica que atingiu 1,66 milhões de dólares por megawatt. O ano de 2016 ficou marcado como a primeira vez que fontes de energia renováveis têm melhor performance que energias fósseis em aplicações de maior escala. Em janeiro, um novo recorde havia sido atingido na Índia com um contrato de geração de energia solar por 64 dólares por megawatt-hora (MWh). Em agosto esse recorde caiu para 29,10 dólares por megawatt-hora no Chile. Isso equivale a aproximadamente a metade do preço da geração utilizando carvão. Essa economia, juntamente com os benefícios da redução nas emissões de carbono na atmosfera, alavancam os investimentos na geração através da energia fotovoltaica. Entre as razões para esse fato estão a queda nos custos dos equipamentos, novos modelos de negócios, aumento dos investimentos e políticas baseadas em energia limpa. Segundo Ethan Zindler, diretor de análises de políticas americanas no BNEF, o rápido crescimento dos investimentos da China nessa tecnologia foi impressionante, inclusive ajudou outros países a financiar seus próprios projetos. Dados do mercado solar: No último ano a China investiu $103 bilhões em projetos solares, mais que EUA ($44,1 bilhões), Grã-bretanha ($22,2 bilhões), e Japão ($36,2 bilhões) juntos. “Os investimentos em energia solar foram do zero, literalmente nada, cinco anos atrás para bastante” disse Ethan Zindler.

Leia mais em: http://economia.uol.com.br/noticias/bloomberg/2016/12/15/ponto-de-inflexao-energia-solar-fica-mais-barata-do-que-eolica.htm

https://www.bloomberg.com/news/articles/2016-12-15/world-energy-hits-a-turning-point-solar-that-s-cheaper-than-wind

Maior fábrica de painéis fotovoltaicos é inaugurada no Brasil

No dia 8 de dezembro de 2016 a Canadian Solar, uma das maiores fabricantes de módulos fotovoltaicos do mundo, inaugurou sua fábrica na cidade de Sorocaba (SP). A planta é considerada a maior do Brasil e tem capacidade de produzir anualmente 400MW de módulos fotovoltaicos, gerando cerca de 600 empregos diretos e indiretos. O projeto teve investimentos de R$80 milhões e teve apoio da Agência de Promoção de Investimentos e Exportações do Governo do Estado de São Paulo (Investe São Paulo) e da Agência Brasileira de Promoção Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). Segundo o CEO da empresa, Shawn Qu, o Brasil possui potencial de se tornar um líder regional e global nesta fonte de geração. Com isso a empresa tem a meta de expandir sua atuação no Brasil para incentivar a inovação e a redução de custos dos equipamentos. Shawn Qu ainda destacou que o Brasil vive ‘o tempo perfeito’ para o mercado solar em grande escala.

fabrica canadian solar sorocaba

Maior fábrica de módulos fotovoltaicos do Brasil. Foto: Governo SP

Leia mais em: http://www.energia.sp.gov.br/2016/12/canadian-solar-inaugura-fabrica-de-paineis-solares-no-brasil/

Assine nossa newsletter e fique por dentro das notícias sobre a energia solar!