Impulsionada pelo crescimento do mercado de energia solar, as fontes renováveis contabilizaram quase dois terços do capacidade instalada no mundo no ano de 2016, revelou o último relatório da International Energy Agency (IEA). Foram quase 165 GW instalados, outro recorde anual, puxado pelo crescimento da energia solar no mundo graças a redução dos custos e incentivos governamentais.

No ano passado, a capacidade instalada em energia fotovoltaica no mundo cresceu 50%, atingindo mais de 74 GW, com a China responsável por quase metade dos módulos fotovoltaicos instalados. Pela primeira vez o crescimento na energia solar foi mais rápido que qualquer outra fonte de energia, incluindo o carvão.

O IEA prevê que a energia solar continuará dominando o crescimento no futuro e a estimativa é que em cinco anos a capacidade instalada no mundo será maior que a soma dos parques energéticos atuais do Japão e da Índia, o que representa uma expansão maior que 920 GW.

“O que estamos vivendo é o nascimento de uma nova era na energia solar fotovoltaica. Nós esperamos que o crescimento da energia fotovoltaica será maior que qualquer outra tecnologia renovável até 2022”, disse o diretor executivo da IEA, Dr. Fatih Birol.

Enquanto a China dominou a expansão das fontes renováveis, os EUA e Índia foram outros países que se destacaram. Os três países serão responsáveis por dois terços da expansão até 2022.

Apesar da promessa do presidente americano Donald Trump de reviver a indústria do carvão e as incertezas que ele traz a nível federal, Paolo Frankl, diretor da divisão de energias renováveis do IEA afirmou que os subsídios para a energia solar e eólica limitam o impacto de Donald Trump sobre essas fontes.

Contudo, segundo Frankl, tudo isso pode mudar se houver reformas que atinjam os subsídios ou se a comissão de comércio internacional americana impor tarifas de importação aos módulos fotovoltaicos chineses.

A Índia deve passar por um “boom” nos próximos cinco anos assim que alguns gargalos como a integração de fazendas solares com a rede de distribuição sejam resolvidos. A capacidade instalada em fontes renováveis deve dobrar até 2022, ultrapassando o crescimento da união europeia.

Fontes renováveis

Foto: USFWS Mountain-Prairie sob licença CC BY 2.0.

Até 2022 em alguns países europeus (Irlanda, Alemanha e a Grã-Bretanha) a participação da energia eólica e solar na energia total gerada irá exceder 25%. No Brasil, China e Índia o percentual dessas tecnologias, que são intermitentes, irá dobrar para mais de 10% em apenas cinco anos. Essa tendência terá um impacto importante já que sem um aumento simultâneo na flexibilidade do sistema elétrico (tais como reforço na rede, alternativas de armazenamento, alternativas de resposta à demanda), as tecnologias solar e eólica estão mais expostas ao risco de perder valor quando atingirem maiores penetração no mercado. Isso é devido a maior probabilidade de essas tecnologias forçarem o preço da energia para baixo quando a geração exceder a demanda.

Outro ponto abordado no relatório foi a participação dos veículos elétricos. O percentual de veículos com tecnologias renováveis nas estradas deve crescer de 4% para 4,5% em 2022. Apesar do aumento nas vendas a participação dos veículos elétricos ainda é limitada e os biocombustíveis devem representar 90% do total de consumo de energia renovável no transporte terrestre até 2022. A Ásia irá liderar esse crescimento e o Brasil terá uma contribuição considerável devido aos esforços em aumentar o consumo de biocombustíveis.

Enquanto 2022 não chega, o mundo segue incentivando as fontes renováveis, que com certeza irá mais uma vez superar as estimativas feitas em anos anteriores. Um futuro melhor nos aguarda quando juntos convergimos em uma mesma direção baseada no consumo sustentável.

Fonte: https://www.iea.org/publications/renewables2017/

Foto: Activ Solar under CC BY-SA 2.0 license.

Assine nossa newsletter e fique por dentro das notícias sobre a energia solar!