Muito se questiona sobre a manutenção de sistemas solares fotovoltaicos e, algumas pessoas equivocadamente acreditam não necessitar de  manutenção. Isso não é bem verdade, apesar da manutenção ser realmente muito baixa quando comparado com outros métodos de geração de energia, principalmente aqueles que possuem partes móveis.

Este artigo irá abordar os principais pontos que merecem atenção e de verificação periódica em um sistema solar fotovoltaico. É importante frisar que um projeto e instalação mal feitos ou realizados por profissional não qualificado podem resultar em altos custos de manutenção no médio e longo prazo.

Segurança na manutenção de sistemas solares fotovoltaicos

Antes de iniciar o procedimento de manutenção de sistemas solares fotovoltaicos é necessário garantir a segurança de todos durante o processo. Para tal os mantenedores precisam possuir certificação nas normas NR10 (Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade) e NR35 (trabalho em altura).

O primeiro procedimento de segurança visa garantir a proteção do profissional contra choques elétricos. Dessa forma realiza-se o bloqueio e desenergização do sistema de acordo com o seguinte procedimento:

  • notificar a todos do desligamento do sistema;
  • abrir todos os dispositivos de isolamento de energia adotados de acordo com o projeto;
  • bloquear e destacar todos os dispositivos de isolamento de energia;
  • dissipar ou restringir a energia armazenada ou residual;
  • verificar se o equipamento está completamente desenergizado.

Atente-se sempre para o uso dos EPIs adequados para cada tarefa, como capacete, luvas, óculos, botas, cintos e outros. Ao realizar o procedimento de desconexão deve-se atentar para o tipo de conector utilizado. Alguns conectores e chaves não são apropriados para desconexão com carga, neste caso deve-se garantir a desenergização deste componente antes de realizar sua manutenção.

Rotina de inspeção na manutenção de um sistema solar fotovoltaico

Por mais simples que possa parecer a manutenção de um sistema solar fotovoltaico, ao menos uma vez ao ano é recomendada uma inspeção completa do mesmo. O primeiro passo é realizar uma inspeção visual geral, que deve constar dos seguintes passos:

No caso de instalações em telhado:

  • garantir que não haja vazamentos nas furações do telhado;
  • garantir que as calhas e sistema de drenagem do telhado não se encontram entupidos, podendo causar o acúmulo de água próximo ao sistema;
  • verificar se não houve crescimento da vegetação ou a instalação de outros novos itens, como antenas, que possam gerar sombreamento no sistema;
  • confirmar se a sinalização do sistema está corretamente instalada;
  • Confirmar se os quadro elétricos só podem ser acessados ​​por pessoal autorizado, protegidos por cadeados ou fechaduras e corretamente sinalizadas;
  • Verificar a integridade dos quadro elétricos;
  • verificar a limpeza do local. Não deve haver detritos na área do inversor ou em outro local do sistema;
  • verificar a existência de cabos soltos;
  • verificar a existência de sinais de infestação animal.

Já para instalações em solo o procedimento é ligeiramente diferente:

  • verificar se não houve crescimento da vegetação ou a instalação de outros novos itens que possam gerar sombreamento no sistema;
  • verificar se houve erosão do solo ou a formação de trincas na base da estrutura;
  • confirmar se a sinalização do sistema está corretamente instalada;
  • confirmar se os quadro elétricos só podem ser acessados ​​por pessoal autorizado, protegidos por cadeados ou fechaduras e corretamente sinalizadas;
  • verificar a integridade dos quadro elétricos;
  • verificar a limpeza do local. Não deve haver detritos na área do inversor ou em outro local do sistema;
  • verificar a existência de cabos soltos;
  • verificar a existência de sinais de infestação animal.

Após a inspeção geral, deve ser realizada uma inspeção detalhada do sistema, buscando identificar qualquer problema que possa gerar acidentes ou reduzir a performance do sistema:

  • Inspecionar o inversor para se certificar de que ele está corretamente fixado e não mostra excesso de rachaduras ou sinais de desgaste. O inversor deve ser aparafusado de acordo com as especificações do fabricante. Dependendo do tamanho, localização e acessibilidade do sistema para pessoas não qualificadas, os inversores, string boxs e demais componentes elétricos devem possuir fechaduras ou outro sistema que impeça o acesso a estas áreas.
  • Verificar se todas as placas de aviso estão fixadas de acordo com a norma vigente. Caso alguma sinalização esteja ausente, providenciar a sua instalação;
  • Inspecionar os módulos fotovoltaicos para detectar defeitos que possam aparecer sob a forma de marcas de queimadura, descoloração, delaminação ou vidro quebrado.
  • Verificar se os módulos apresentam acúmulo de sujeira devido a poeira ou dejetos animais. O acúmulo de sujeira, além de impedir a irradiação solar de atingir os painéis fotovoltaicos, ainda podem gerar problemas mais sérios, como os hot-spots (pontos quentes) quando o acúmulo dessa sujeira ocorre de maneira desigual. A limpeza deve ser realizada com água desmineralizada e detergente neutro, utilizando um pano e rodo, fazendo movimentos verticais, semelhantes ao utilizado para a limpeza de fachadas de vidro em prédios comerciais. Nunca deve-se utilizar água pressurizada, abrasivos, escovas, solventes e detergentes fortes.

Certifique-se de que a fiação do módulo está segura, não está exposta a possíveis danos, dobrada para um raio não aprovado ou esticada em superfícies afiadas ou abrasivas.

  • Inspecione o sistema de fixação dos módulos, verificando a inexistência de defeitos, incluindo ferrugem, corrosão, afrouxamento e parafusos perdidos ou quebrados.
  • Inspecione os conduítes ou eletrodutos, verificando a integridade e fixação dos mesmos;
  • Abra os string box e quadros elétricos e verifique se há marcas de torque nas conexões. Essas marcas devem ser feitas com caneta apropriada, riscando uma linha entre o parafuso e a carcaça. Caso essas marcações estejam desalinhadas, o aperto dos parafusos deve ser corrigido. Procure por detritos dentro das caixas e qualquer evidência de penetração de água. Procure por descoloração nos terminais, placas, e porta-fusíveis.
  • Realizar uma inspeção visual do interior e exterior do inversor. Procure sinais de penetração de água, danos causados por roedores ou entrada de poeira no inversor. Verifique as marcas de torque e, caso necessário reaperte os parafusos.

Manutenção dos inversores

A manutenção dos inversores deve seguir as especificações sugeridas pelo fabricante. Caso não possua essas informações, o procedimento padrão de inspeção é:

  • Validar os valores das medições apresentadas no display do inversor;
  • Verificar o último log de erro do sistema;
  • Limpar os filtros;
  • Limpar o interior do gabinete do inversor;
  • Testar o cooler;
  • Verificar os fusíveis.
  • Verificar o torque dos terminais;
  • Verificar a junta de vedação;
  • Confirmar se todas as etiquetas de aviso estão fixadas;
  • Procurar por qualquer anormalidade aparente, como descoloração e sobreaquecimento;
  • Verificar a continuidade do aterramento do sistema e do equipamento;
  • Verificar o sistema anti-ilhamento;
  • Verificar se o firmware instalado é o mais atual.

Finalizando o processo de manutenção de sistemas solares fotovoltaicos

Após a verificação de todos os itens listados e a correção dos problemas encontrados, todo o processo deve ser devidamente documentado para futura consulta. A próxima inspeção deve ser agendada para um prazo máximo de 1 ano.

Atente-se que os procedimentos listados apresentam alto risco e devem ser realizados por um profissional capacitado.

Caso esteja precisando de realizar uma manutenção preventiva ou corretiva em seu sistema solar fotovoltaico a Sharenergy possui profissionais capacitados e está pronta para atendê-lo.

Fontes:

HANEY, Josh; BURSTEIN, Adan. Pv System Operations and Maintenance Fundamentals. Agosto, 2013. 45p.

NREL; Sandia; Sunspec Alliance SuNLaMP PV O&M Working Group. Best Practices in Photovoltaic System Operations and Maintenance 2nd Edition. Denver, Colorado. 2016. 116p.

SANCHEZ, Justine. Potential PV Problems: Page 2 of 3

Disponível em: <https://www.homepower.com/articles/solar-electricity/design-installation/potential-pv-problems/page/0/1?v=print> Acesso em: 16 dez. 2017.

 

Assine nossa newsletter e fique por dentro das notícias sobre a energia solar!