A energia rural e suas nuances, como acesso, custo e qualidade são assuntos que devem ser discutidos com intuído de possibilitar o crescimento econômico do Brasil, país que possui o agronegócio como um dos pilares da sua economia. Somente no ano de 2017, esse setor cresceu 13%, sendo o principal responsável pelo crescimento de 1% no PIB nacional.

A grande relevância econômica da agropecuária no país é consequência da riqueza em recursos naturais, disponibilidade de área e clima favorável. Isso ocorre, pois, o Brasil é o quinto país do mundo em extensão territorial, com sua área situada, quase que totalmente, entre os trópicos.

A indústria agropecuária é extremamente intensa em energia, que representa uma parcela significativa de seus custos de produção. Além disso, por se tratarem de regiões mais distantes, muitas vezes os produtores rurais sofrem com a deficiência na estrutura elétrica, causando baixa qualidade ou até mesmo falta de energia. Em função disso,  muitos produtores recorrem a geradores à diesel. Tais geradores como solução para fornecimento de energia rural suprem a necessidade, porém são onerosos e poluidores. Diante disso, a energia fotovoltaica se destaca como grande solução.

Segundo dados da ANEEL existem aproximadamente 4,7 milhões de consumidores de energia elétrica nas zonas rurais. Essa lista compreende apenas os produtores que estão conectados à rede da concessionária, sendo ainda maior quando incluídos aqueles que são supridos por fontes próprias de energia.

Onde posso usar energia solar na minha propriedade?

Bombeamento de água

Frequentemente as bombas de água utilizadas na zona rural, seja para irrigação, abastecimento de água para o gado, consumo próprio, ou qualquer outra aplicação, são posicionadas em regiões remotas, o que dificulta o acesso à rede elétrica ou até mesmo o uso de geradores à diesel. As bombas movidas a energia solar surgem como alternativa, sendo mais confiáveis que os geradores à diesel, não precisam ser reabastecidas e podem ser instaladas desconectadas da rede. O vídeo a seguir explica como funciona o bombeamento de água com energia solar.

Cerca elétrica para manejo do gado

Outra aplicação que é frequentemente utilizada desconectada da rede é a eletrificação de cercas para o manejo de gado. Assim como o bombeamento de água, a eletrificação de cercas para manejo do gado, muitas vezes é realizada em locais distantes da rede elétrica. Por se tratar de uma aplicação com baixo consumo, a instalação de um eletrificador rural é simples e demanda, geralmente, poucos módulos fotovoltaicos.

Produção leiteira

Os criadores de gado leiteiro frequentemente sofrem com a instabilidade do sistema elétrico. Caso falte energia e as ordenhadeiras não possam operar as vacas podem apresentar problemas de mastite. Outro ponto crítico são os tanques de resfriamento, no caso de falta de energia todo um lote de leite pode ser perdido.

Dessa forma, a energia fotovoltaica com backup (baterias para suprir os momentos sem fornecimento do sistema fotovoltaico e da rede de distribuição) aparece como solução para manter o sistema sempre funcionando, diminuindo perdas e impactando no aumento de produção.

Avicultura

Segundo o site aviculturaindustrial.com.br a energia é o maior custo na criação de frango para corte, correspondendo a 27,5% dos custos das granjas. Em um mercado tão proeminente no nosso país, a melhoria da eficiência produtiva com a redução dos custos com energia apresenta grande impacto para o setor. A utilização de energia fotovoltaica é uma grande alternativa para essa redução de custos já que, uma vez instalada, apresenta custo recorrente próximo de zero.

Energia solar rural: On-grid ou off-grid?

Existem duas modalidades de sistemas fotovoltaicos que podem atender aos consumidores de energia rural. Para aqueles produtores que não possuem conexão à rede da concessionária, o sistema fotovoltaico off-grid (desconectado da rede de distribuição) aparece como opção de substituição aos geradores à diesel. Esse tipo de sistema possui, além dos módulos fotovoltaicos e inversores, um banco de baterias que armazena a energia gerada durante o dia para o uso à noite e/ou em dias chuvosos. As principais vantagens desse tipo de sistema em relação aos tradicionais geradores são a redução do custo de produção, uma vez que o insumo dos geradores fotovoltaicos é gratuito, o Sol. A independência da concessionária também é uma vantagem em relação aos sistemas on-grid (conectados à rede de distribuição), pois o produtor não fica sujeito às instabilidades no fornecimento de energia. Já pelo lado negativo, a principal desvantagem desse sistema é o investimento mais elevado, uma vez que os bancos de baterias ainda apresentam um elevado custo de implantação.

Já para aqueles produtores que estão conectados à rede da concessionária, a solução mais propícia é a implantação dos sistemas on-grid. Esse tipo de sistema utiliza a rede da concessionária como “armazenamento”, eliminando a necessidade do banco de baterias. Sem dúvida essa modalidade apresenta menor custo de implantação e, consequentemente, menor tempo de retorno do investimento. Vale lembrar que, para essa modalidade, caso ocorra falta de energia o sistema fotovoltaico também se desconecta, ficando o consumidor sem acesso à energia até que a concessionária restabeleça o fornecimento.

Uma maneira de atender o fornecimento de energia rural, ficando protegido quanto às faltas de fornecimento da concessionária e sem precisar investir em um grande banco de baterias, são os sistemas on-grid com backup. Esses sistemas são como uma mescla dos outros dois, pois estão conectados à concessionária, mas, no caso de falta de energia, a energia passa a ser fornecida pelo banco de baterias, que pode ser bem menor do que o banco de baterias de um sistema off-grid.

 

energia solar rural

Galpão com sistema fotovoltaico instalado. Fonte: U.S. Department of Agriculture.

Vantagens da energia fotovoltaica para os produtores rurais

Os produtores rurais podem obter uma série de vantagens ao adotarem a energia fotovoltaica, vantagens essas relacionadas aos custos, aumento de produção, selos de qualidade e imagem institucional. Uma das características mais marcantes da energia fotovoltaica é o seu caráter renovável e não poluidor. Em um mundo onde a preocupação com o meio ambiente tem estado cada vez mais em voga, essa característica pode ser apontada como um grande diferencial de marketing e contribuir fortemente para a imagem institucional do produtor rural.

Do ponto de vista financeiro, a energia rural fotovoltaica apresenta grande vantagem competitiva. Aqueles produtores que possuem conexão à rede da concessionária e optem por instalar um sistema fotovoltaico poderão reduzir sua conta de energia em mais de 90%. O tempo de retorno do investimento varia, geralmente, entre 4 e 7 anos e a vida útil do sistema é superior a 25 anos. Já os consumidores desconectados da rede e que utilizam geradores à diesel, poderão usufruir de uma geração de energia sem precisar arcar com os elevados custos do diesel.

Já do ponto de vista da produção, o fornecimento de energia nas zonas rurais do Brasil ainda é bastante precário, fazendo com que os produtores desse setor sofram constantemente com perdas por baixa qualidade no fornecimento de energia. A energia fotovoltaica rural pode ser uma excelente alternativa para reduzir essas perdas, melhorando o desempenho das irrigações, ordenhas, refrigeração, armazenamento e processamento dos produtos rurais.

Linhas de financiamento para energia rural

Outra grande vantagem para o produtor rural são as diversas linhas de financiamento disponíveis para a aquisição de um sistema de energia solar fotovoltaica.

Os produtores localizados na região da SUDENE (região Nordeste do Brasil, além do norte de Minas Gerais e Espírito Santo) podem contar com a linha FNE Sol, do banco do Nordeste. Essa linha disponibiliza crédito para instalação de sistemas fotovoltaicos com juros que partem de 5,65% ao ano com prazos de até 12 anos e carência de até 1 ano.

Para os produtores pertencentes à categoria de agricultor familiar, a melhor alternativa de financiamento costuma ser o Pronaf Eco. Com taxas que chegam a 2,5% ao ano, o Pronaf Eco oferece prazos de até 12 anos com até 8 anos de carência. É importante ressaltar que, para ter acesso a esta linha de financiamento o produtor deve apresentar Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) válida.

Para cooperativas, uma alternativa interessante é o Prodecoop, que apresenta taxas de 8,5% ao ano, prazos de até 10 anos e carência podendo chegar a 3 anos. Pode ser solicitado por cooperativas singulares, cooperativas centrais, produtores rurais cooperados e federações e confederações que atuem diretamente na fabricação de insumos e no processamento e industrialização da produção.

Como obter energia rural fotovoltaica

O primeiro passo para obter um sistema fotovoltaico para sua propriedade rural é procurar uma empresa especializada (Clique aqui e solicite uma cotação à Sharenergy). Caso a opção seja por um sistema conectado à rede a empresa irá solicitar uma conta de energia de sua propriedade para avaliar o consumo. Caso seja uma propriedade desconectada da rede serão solicitadas informações sobre os principais equipamentos elétricos e os respectivos regimes de uso.

De posse desses dados a empresa irá avaliar a área necessária, bem como os equipamentos a serem utilizados e apresentará uma proposta. Com a proposta em mãos o produtor pode decidir pela implantação do sistema e avaliar as diversas alternativas de financiamento. A Sharenergy te auxilia em todas as suas decisões, inclusive na viabilização financeira de seu projeto.

Quer saber mais? Entre em contato conosco ou deixe um comentário.

Assine nossa newsletter e fique por dentro das notícias sobre a energia solar!